< VOLTAR

Minha crise começou, e agora?

Publicado 10/07/2019
Enxaqueca crônica

Todo enxaquecoso uma hora tem que encarar as temidas crises, que são dores de cabeça moderadas ou intensas, que podem vir acompanhadas por diversos sintomas, como náuseas, enjoos, sensibilidade a luz, cheiros ou barulhos. As crises podem ser precedidas por distúrbios visuais, como manchas brilhantes e borrões, além de formigamento nas pernas e braços, na chamada enxaqueca com aura

Notou que no começo do texto falamos que a enxaqueca pode ser acompanhada por alguns sintomas? Isso quer dizer que ela é a própria doença, e não o sintoma de outra disfunção do organismo, por isso, assim como qualquer outra enfermidade, a enxaqueca deve ser tratada adequadamente e acompanhada por um médico especialista.  

Nenhum exame é capaz de identificar especificamente a cefaleia, não há alteração no cérebro, que poderia ser vista em uma tomografia, por exemplo, ou disfunções que possam ser percebidas na corrente sanguínea. Por esse motivo, é tão importante buscar um neurologista habilitado para diagnosticar e tratar o seu caso. 

Para falar um pouco do que deve ser feito nos momentos de crise, conversamos com a neurologista, Dra. Aline Turbino da Costa (CRM-SP 128.847): 

O que o paciente deve fazer na hora da crise?
Procurar um ambiente escuro e calmo, repousar se hidratar e usar compressas frias na cabeça.

Quanto tempo em média dura uma crise de enxaqueca?
Uma crise de enxaqueca dura de 4 a 72 horas. Chamamos de status enxaquecoso uma crise com duração maior que 72 horas. Mas há pacientes que convivem por meses e anos com dor diariamente.

Em qual momento o analgésico deve ser tomado?
Os analgésicos atuam melhor quando são usados no início da dor, (o mais precoce possível), mas é importante lembrar que não se deve fazer o uso de forma excessiva, pois podem cursar com piora da intensidade e da frequência da dor a longo prazo.

Se a dor persistir, o paciente deve tomar mais analgésicos?
Dores persistentes devem ser avaliadas por um neurologista, que realizará um exame neurológico detalhado e em caso de necessidade irá solicitar exames complementares.

Existe alguma forma de evitar o uso excessivo de analgésicos para aliviar a dor durante a crise?
Compressas de água fria, repouso, dormir e chás , em especial o de gengibre podem causar algum alívio.

Muitos pacientes relatam que a dor só passa quanto tomam medicação intravenosa, por que isso acontece, e como devem ser tratados esses casos?
Geralmente esses são pacientes que fazem uso excessivo de medicação, e que, por isso, as medicações ministradas em prontos socorros, perdem a sua potência e eficácia. Infelizmente, o excesso de medicação e o uso de derivados de morfina são causas de dor refratária e diária.

Qual é a melhor forma de prevenir as crises?
Realizar tratamento profilático ainda é a melhor estratégia para evitar dor. Aliar rotinas saudáveis como se alimentar bem, beber muita água, praticar atividade física de forma regular, e dormir em horários regulares ajudam bastante. Verificar os fatores desencadeantes da dor e buscar evitá-los são de grande ajuda.

O texto acima possui caráter exclusivamente informativo. Jamais realize qualquer tipo de tratamento ou se automedique sem a orientação de um especialista.




TESTE O IMPACTO DA ENXAQUECA NA SUA VIDA

Você já se perguntou “Quanto a enxaqueca me afeta?”. Faça o teste e descubra como a dor tem impacto em sua vida pessoal e profissional. O prejuízo pode ser maior do que você imagina!

SAIBA +
DIÁRIO DA ENXAQUECA

Baixe o aplicativo e anote suas atividades diárias e as informações sobre as crises de dor. Esses detalhes podem ajudar o especialista no seu diagnóstico! É rápido e simples.

SAIBA +
ENCONTRE UM MÉDICO

Localize os médicos, membros da Sociedade Brasileira de Cefaleia, indicados para diagnosticar enxaqueca crônica e prescrever o tratamento adequado para seu caso.

SAIBA +